Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O meu desespero

Até hoje, já apanhei 2 gripes. Gripes que me levam sempre ao desespero, com febres que ultrapassam os 39º, que teima em não baixar, com dores no corpo que já nem consigo tossir,e a vomitar tudo o que como, o que é sempre bom.
E as gripes são tão raras, que quando me apanham, teimam em não me largar. Ou seja, espero uns dias, quando não posso mais lá vou eu para o médico. Passa-se 4/5 dias e a porra da febre sobe em vez de descer, e eu cada vez fico pior. E lá vamos nós com segunda ida ao médico que me mete de quarentena.
E os ben-u-rons não me baixam a febre. Dizem que é fraco. É brufen 600 de 4 em 4h! E nunca é o suficiente... Da primeira vez, cheguei mesmo a ter que levar injecções para me baixar a febre porque com remédios não estava a ir lá.
Por tanto, há gripes, e gripes.

E depois há aquela coisa chata chamada "atestado médido", que para o termos precisamos de ir ao médico para que eles nos passem a dita cuja, para podermos apresentar nas escolas/empregos, para podermos ficar de quarentena a curar a maldita gripe.
Por tanto, por muito que digam "não vá, ligue para a linha 24", a menos que comecem a mandar atestados também por lá, muitas pessoas não têm outra opção senão ir para lá.
E eu falo por mim, passei a vida em hospitais e centros de saúde, estou fartinha daquilo, e quando estou doente a última coisa que me apetece é sair da cama e vestir-me. Muito menos para me ir enfiar em centros de saúde claustrofóbicos, cheios de gente, e quentes como a merda, que parece que estamos numa sauna!
Estamos a chegar a Fevereiro. Normalmente a bendita gripe quer-me apanhar sempre nesta altura. Mas, este ano, para além de não gostar nada da maneira torturante que me deixa, espero bem que não se lembre de mim, que a minha pessoa já tirou os bilhetes para ir passar a bela de uma semana a Paris, e não estou com vontade de ir para lá assim. Infestar o avião todo.

Oremos.


(eu disse JS :b)

1 comentário:

JS disse...

Eu tive azar. Trabalhei numa empresa ligada à defesa nacional, com assistência semelhante aos militares. Tinha médico na empresa e quando estava doente não precisava de ir ao hospital. O meu azar é que o doutor só dava baixa a quem tinha febre e eu, quando era mais novo, só tinha febre de tarde e a consulta era de manhã. Por isso nunca tive uma baixa por gripe.
Agora sou uma flor de estufa e este meu pulmão direito, que na prática não passa de meio pulmão, dá cabo de mim. Inflama por tudo e nada, ganha líquido e para evitar complicações maiores se a tosse e a febre não passam ao segundo dia, vou ao médico. Por acaso tenho ADSE e vou a um médico particular, porque sempre que entro no centro de saúde, fico doente só de ver tanta gente a respirar-me para cima. :)

As melhoras.