Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Dilemas que dão cabo de nós

Tenho andado com a cabeça a mil por causa de querer ir para a França.
Tenho medo que o meu pai não concorde com a ideia e que não me deixe ir. E se não me deixar ir, a minha relação acaba porque ele não quer continuar com uma relação assim à distância. Que aguentava até Agosto para eu poder acabar o curso, mas que depois, ou ia para lá ou acabava-se tudo.
Depois é, não sei falar e não tenho trabalho, nem estou a ver a minha irmã a conseguir arranjar-me um, já que ela vai adiando o assunto e dizendo que tem tempo, mas não quero estar lá a viver às custas de ninguém!
E eu quero estar lá pouco tempo. Juntar o necessário para podermos ter uma casinha e algum de precaução e voltar. O problema é que, pelas minhas costas, 6/7 anos são necessários. Mas se nos juntarmos como ele quer (o que eu acho mal porque são mais despesas que teremos) esses anos vão aumentar e eu não quero!
Daqui a 10 anos os meus pais já têm 70 e vão estar cá sozinhos em Portugal! Não me sinto descansada assim... nem quero ficar lá para sempre! Adoro o meu país!
Eu já cedi e não me importo de ir morar para a terra dele. Ao menos, ao fim-de-semana, sei que posso vir ver os meus pais. Mas na França não.
E na França fico sem as minhas coisas, o meu espaço e sossego que tanto aprecio, os meus amigos... sem poder estar à-vontade porque não é a minha língua e vou andar sempre à nora...
Sei que, se arranjar lá trabalho, é a minha melhor opção para poder ter as minhas coisas, o meu espaço, e uma vida tranquila a dois. E estar perto dele é o ideal! Custa para caraças estarmos assim longe.
Porém, algo me diz que nunca me sentirei plenamente feliz e realizada. Não enquanto não voltar para o meu país!
E esta coisa de não saber o que fazer, não ter planos palpáveis, não ter um trabalho em vista, nada, zero, nicles, ir para lá completamente à toa e às escuras, está a dar-me cabo da cabeça.
E também vai dar cabo da cabeça ao meu pai. Especialmente quando se lembrar que andou a fazer o sacrifício para eu estar na universidade, para os deitar ao lixo. Nem trabalho na área, nem fico no país. E sinto que será o maior desgosto que darei aos meus pais, e que vou ouvir muito "eu disse-te para não ires para esse curso".
Oh sorte...
Sinto-me a entrar num caverna cada vez mais escura...

terça-feira, 28 de abril de 2015

Fui-me desgraçar para os chineses

Em cadernos!
Entre livros e cadernos, venha o diabo e escolha, porque eu adoro ambos!

Ainda por cima, este têm as minhas ricas corujas (ou mochos?)!




(a 2,95€ cada um. Corram todos para os chineses! É o melhor sítio para arranjar cadernos giros e baratos)

E quem diz a verdade...

Houve uma sessão no parlamento que promovia a participação dos jovens. O problema é que não se lembraram que os jovens não têm problemas em falar, em dizer as verdades porque, ao contrário dos políticos, não estão ser pagos.
E o resultado foi este:



E como se costuma dizer, quem diz a verdade, não merece castigo. ;)

Preciosidades a chegar!

Ouvi falar numa certa promoção que está a decorrer no continente, em que alguns livros estão com 5€ de desconto, e ainda por cima vi lá um que eu quero e que já tem anos!
Li-o em 2011/2012, para aí, na altura em que passava a minha vida a biblioteca e a requisitar livros.
Sei que já não me lembro da história, mas que na altura a adorei. E queria tanto relê-la...
Andava a adiar a compra porque o livro custa quase 18€ e não estava nas minhas prioridades. Porém, com este desconto, mas um quanto que eu tinha no cartão, o livro ficou-me a cerca de 7€! 
Acham mesmo que iria perder isto? Óbvio que não!
Por acaso consegui arranjar boleia porque, caso contrário, amanhã seria dia de calçar as sapatilhas e por-me a caminho de lá (e ainda é um booom esticam!), mas oportunidades destas são raras e não as pudemos deixar fugir!

E agora deixo-vos com a foto do membro recente na estante (ainda com a etiqueta do preço, para os interessados)




Comprar Online para quem estiver interessado, mas sem qualquer desconto http://www.wook.pt/ficha/se-me-pudesses-ver-agora/a/id/194064/?a_aid=526afaca39d15

Zoe...

Acabei de ver mais 2 episódio de Hart Of Dixie e estou deprimida e com vontade de chorar amargamente. Pobrezinha da Zoe... Acho que ainda fiquei com o coração mais partido que ela.




Outra coisa, o Wade, aquele mulherengo? Pois... Ando com um assim e tenho tanto, mas tanto medo... 
Ele mudou, muito! E fico muito feliz por ele ter mudado, e tenho muito orgulho nele e naquilo que ele se tornou. Mas tenho tanto medo... Medo que haja um "azar". Medo que num dia mau, se juntem outras coisas, e se torne num dia ainda pior.
Isto porque o amo, e não quero ficar sem ele...

Vou deprimir para a cama.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Em choque



 Hum... acho que nem consigo comentar...

Não sei se me ria, se bata com a cabeça na parede

Estava eu a ver Hart Of Dixe (não faço mais nada nesta vida agora) quando, enquanto a Lemon prepara a sua noite escaldante para o namorado, aparece ela, sentadinha no sofá, a ler AS 50 Sombras de Grey, já com páginas marcadas e tudo.
Rio-me ou fico a achar que este mundo está perdido?



domingo, 26 de abril de 2015

A propósito da série Hart of Dixie

... em que, em duas semanas, já vou a meio da 2º temporada, só tenho a dizer: a Zoe e o Wade fazem um casal tão fofo... baba, baba, baba *-*

sábado, 25 de abril de 2015

As pessoas que comem muito chocolate são mais inteligentes!

É o que dizem aí pelas internetes. (com a devida fonte http://www.ela-e-ele.com/as-pessoas-que-comem-muito-chocolate-sao-mais-inteligentes/)
Não é que precise de uma desculpa para o fazer, mas este vai ser o meu novo motivo para continuar a enfardar chocolate como se não houvesse amanhã!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Os meus erros

Respondendo a um anónimo que chamou a minha atenção para dois erros no post anterior, quero desde já agradecer :)
E pedir também desculpa pelos erros que possam encontrar porque, como já aqui referi, tenho o mau hábito de não reler o que escrevo, e, depois, escrever na cama, tarde, e num telemóvel touch, com correcção automática, nem sempre dá bom resultado :b

terça-feira, 21 de abril de 2015

Não sou expert, mas tenho uma opinião

Sempre gostei de ler e escrever, e sempre tive uma paixão pela nossa língua. Uma paixão discreta, que me passava despercebida.
Nunca fui de estudar, mas gostava de perceber os mistérios da nossa gramática. Aquela complicação toda, onde metade dela já foi esquecida.
E com muito treino e, principalmente, muita leitura e pesquisa, e após chatear muito uma professora super querida que tive no secundário, mais um brilhante professor, dos que mais gostei de conhecer, na universidade, fui aperfeiçoando a minha escrita. Principalmente, a pontuação.

Apesar de já ter tentado escrever vários livros, sempre acabei por desistir. Não tenho vida para isso. Mas entre pequenos textos e entradas em blogues, fui treinando a escrita, a pontuação, corrigindo erros (eu dava IMENSOS na primária!).
E, como vêem, hoje em dia, são muito escassos. Mas, não sou perfeita.

O problema é que há por aí muita gente que se acha um ás na escrita! Aspirante a autor. O problema é que, por muito bem que possam escrever, fere-me os olhos a pontuação que empregam aos textos. A sério, dói! Falta de vírgulas e vírgulas onde deveriam estar pontos são os principais erros.
Eu sei, eu sei que uma pontuação correcta não é fácil, e que até é um tanto ou quanto relativo. Onde, para mim, deveria estar uma vírgula, para vós pode ser desnecessária. Ou vice-versa. Mas as orações devem ser separadas. Uma frase demasiado longa não está correcta. Torna-se cansativa!

O truque que eu uso é dizer mentalmente o que escrevo e, onde paro, coloco uma vírgula ou um ponto, conforme a duração da pausa que eu emprego. Um ponto é uma pausa mais longa que uma vírgula, certo?

Não quero com isto criticar ninguém. Longe de mim! Quem sou eu? Uma mera blogger amadora. Só acho que deveriam tentar aperfeiçoar mais isso, e tentar fazer por corrigir.

Provavelmente nem dão por ela porque, mesmo relendo, vocês sabem o que lá queriam dizer. Mas, lembrem-se, não estão a escrever para vós, mas para os outros. E a mensagem tem que ser clara, e não com frases longas e cansativas.

E enfia a carapuça quem quer :b
E sim, sou muito critica no que toca à pontuação. Todos temos defeitos :)

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Hart of Dixie - o meu novo vício


E depois do vício que foi Gossip Girl, que via aquilo quase sem parar, eis que ontem comecei a ver a serie Hart of Dixie, dos mesmo produtores, e... oh my god! Comecei a vê-la ontem a meio da tarde, vi episódios de outra série pelo meio e, mesmo assim, já vou no episódio 16! Aquilo é VICIANTE!!

A Zoe é fantástica. Vibrante! Se a adorava na série The O.C., agora estou rendida...

E farto-me, farto-me de rir com esta série!
Ela é realmente muito, muito boa!


No meu outro cantinho falei do primeiro episódio e revelo um bocadinho da história dela, se estiverem interessados :)

http://soberanadanoite.blogspot.pt/2015/04/hart-of-dixie-o-que-os-meus-olhos-andam.html

sábado, 18 de abril de 2015

Onde param as cuecas?

Como tenho a pele sensível e os detergentes usados para lavar a roupa interior causam-me irritação na pele, tenho, por hábito, lavar as minhas cuecas à mão, com sabão.

Cá na residência, normalmente, lavo-as à noite e vou pendurá-las num dos estandais da lavandaria.
Até aqui, tudo bem.

Pois que ontem pus lá duas cuecas a secar e, agora à noite, fui lá buscar as cuecas, e a única coisa que encontrei foram aa molas. Cuecas? Nem vê-las!

Eu desconfio que as funcionárias, durante o dia, devem ter estado a apanhar a roupa seca, e que misturaram as minhas ricas cuecas azuis novas, da cor do vestido do baile, que as tinha trazido de propósito para essa ocasião, com outra roupa. E que a dona dessa roupa deve ter pegado em tudo e levado, sem se ter apercebido das minhas inocentes cuecas lá perdidas pelo meio.
Sou muito materialista nestas coisas. E o que é meu, é meu! Mesmo qie se trate de 2 simples cuecas!
Por isso, espero que a pessoa que as tenha levado por engano, as volte a colocar na lavandaria.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Triumph no seu melhor


quarta-feira, 15 de abril de 2015

Anda uma pessoa a acordar cedo, para ir ter uma aula, supostamente, das 9h às 12h, para chegar às 10h e acabar.
Mais valia ter ficado a dormir... ainda por cima estava a dormir tão bem...

terça-feira, 14 de abril de 2015

A moda dos sapatos

Primeiro foi a menina Cristina Ferreira. Há poucas semanitas a famosa Fanny. E agora, a famosa aqui da blogosfera, A Pipoca Mais Doce, também já lança sapatos. Neste caso, sabrinas.
Mas virou moda criar sapatos?



 



http://apipocamaisdoce.sapo.pt/2015/04/o-mundo-meus-pes-ou-sete-sabrinas.html

Leituras 2015 #6

"Mas para vocês, o que é o amor" 

www.wook.pt/ficha/mas-para-voces-o-que-e-o-amor-/a/id/205063/?a_aid=526afaca39d15Comprei este livro por curiosidade, e esperando outro tipo de história.
Fui surpreendia quando, ao iniciar a sua leitura, me apercebi que é uma história de dois gays!
As personagens principais são o Seth e o Jim, mas destaco o Seth, pois a sua história de vida é toda analisada.
Neste livro temos não só uma bonita história de amor, mas muito, muito drama.
Começo por avisar que não é qualquer pessoa que consegue ler este livro. Para começar, tem que ter a homossexualidade bem aceite na sua mente, porque, como não podia deixar de ser (parece que se tornou hábito entre os escritores), temos cenas de sexo neste livro, bem descritas, sem floreados. E sexo entre dois homens ainda não é algo que tenha entrado na maior parte da mentalidade das pessoas.
Depois, preparem bem esses estômago, porque terão uma dose de violação, uma violação bastante cruel, macabra, nada fácil de ler, exploração, maus tratos, e assassinatos. 
Um livro bastante empolgante, como podem perceber.
E depois, segredos. Muitos e muitos segredos! Este Seth é um poço cheio deles! E andamos quase até ao final do livro a descobrir coisas. O que é bom, o ideal, para assim nos prender até ao seu fim.
Eu tinha vontade de devorar o livro, ao mesmo tempo que o queria ler calmamente, para saborear cada bocado. Foi uma luta interna intensa.
E o Seth é uma personagem fantástica! Misterioso, chocante, cheio de segredos, meigo, forte, lutador, que nos leva ao extremo da pobreza. E que nos dá a conhecer todo um mundo que nos é desconhecido, pelo menos a mim.
Com ele aprendemos que vale a pena lutar, não desistir, e que tentar viver numa mentira não é fácil. Ela acaba por vir ao de cima, e nós somos aqueles que saímos mais magoados da história.
Neste livro também tiramos a conclusão de que um filho é, sem dúvida, uma dádiva! E pode sê-lo em vários sentidos!
Deixei-vos curiosos?
Leiam a sinopse e corram a comprá-lo. Custa somente 3€! Aproveitem! E aproveitem também para abrir as vossas mentes a outros mundos, a outras realidades.
Não há sombra de dúvida que este livro me surpreendeu. Bastante! E que entrou para a lista dos livros que me marcaram.
Agora a minha opinião sobre os livros é colocada no meu outro blogue http://soberanadanoite.blogspot.pt/, que podem também acompanhar pela página do facebook https://www.facebook.com/soberanadanoiteblog

Se ficaram curiosos com o livro, leiam mais sobre ele aqui http://soberanadanoite.blogspot.pt/search/label/Livros%20-%20Opini%C3%A3o

As 50 Sombras de Grey

E depois de tanta gente a falar nele, o filme já chegou ao nosso amigo Wareztuga e eu também já tive tempo para o ver.

Deixei a minha opinião no outro blogue http://soberanadanoite.blogspot.pt/2015/04/o-livro-virou-filme-as-cinquenta.html
e têm lá os links e essas coisas.


Aqui acrescento o que não convinha lá dizer, que aquilo é muita gente conhecida a ler, incluindo família. E era cena para a minha irmã escrever testamento.



Portanto, adorei a cena do gelo. Sempre quis fazer aquilo.
E a da pena? Deve deixar a pele toda arrepiadinha! (e não só a pele!)
Sempre tive curiosidade por bondagem, mas coisas leves. Amarrar só os pulsos, mas de maneira a que eu me possa soltar, senão entro em pânico. E vendar os olhos.
Com olhos vendados é que deve ser! Não conseguimos prever nada, só sentimentos. Ainda por cima ficamos com os outros sentidos mais apurados. hum...

O meu querido namorado é que devia estar aqui eheh




domingo, 12 de abril de 2015

E cá vamos nós!

Antes de vir ainda tive direito a uma volta à barriga. Emborcar imodium rapid e vamos embora! Voltar à minha triste vida de falta de privacidade e de conforto. 'Bora começar as horas incessantes à frente de um computador,  comer à frente dele e salpicá-lo, comer, todos os dias,  comida aquecida.
Vou aqui no autocarro,  com um calor do caraças. Está abafado. E a mulher ao meu lado é toda para a frentex e vai a tirar selfies.
E eu agora vou tentar ler o livro "Lili", de Miguel Alves, pela viagem.
Resto de um bom domingo!

(Peço desculpa pelos espaços a mais, mas o meu telemóvel volta e meia lembra-se)

sexta-feira, 10 de abril de 2015

São 30% senhores!

Se gosta de Game of Thrones, ou, em português, A Guerra dos Tronos, se querem comprar os livros mas os acham caros, eis que a WOOK está a fazer uma promoção de 30%!
Sim, 30%!
Fica a 13,32€ cada livro, em vez dos quase 20€!

http://www.wook.pt/product/sectionfacetproduct/m/00/areaid/00/restricts//facetcode/temas/sectionid/8/all/1/f3/0/?a_aid=526afaca39d15


E estou com uma vontade imensa de chorar, porque só tenho 2 livros da série, e quero comprar os restantes, e esta é uma oportunidade fantástica! Mas a minha carteira está vazia...
Mas vocês se gostam e se têm publicidade, aproveitem!!

Cliquem na imagem, ou aqui no link:

http://www.wook.pt/product/sectionfacetproduct/m/00/areaid/00/restricts//facetcode/temas/sectionid/8/all/1/f3/0/?a_aid=526afaca39d15

Adeus, Chrome!

Fartei-me! Fartei-me de estar a navegar na internet e estar constantemente janelas a abrir. Ou de querer clicar em algo e não conseguir, porque aquilo descia, ou porque aparecia publicidade (só o rectângulo) em cima. Fartei-me de estar no meu próprio blogue, que de publicidade não tem nada, mas via-o cheio dela! E janelas irritantes!
Fartei-me de esperar imenso tempo, enquanto fazia uma análise ao pc a ver se encontrava algum vírus, e não aparecer nada (graças a deus!).
Não entendo que raio se passava com o Chrome, mas cansei-me. Fartei-me! E mandei-o de vela!
O Internet Explored também não é muito melhor, acho-o super irritante, e acabei por ceder ao famoso Firefox.
Ao menos este desce-me ver o Wareztuga. É o que interessa!


O anonimato

Vocês, leitores regulares, apesar de eu nunca aqui ter divulgado o meu dado ou dados mais pessoais sobre mim, sei que de certeza que sabem quem eu sou. Tal como a AvoGi sabe.
Ao início, por razões pessoais, houve mesmo a necessidade de ocultar a minha identidade. Assinar como Sheila, não colocar fotos ou qualquer tipo de ligações que vos pudesse levar facilmente até mim.
Mas depois essa necessidade de me esconder passou, e comecei a assinar somente com M., a minha inicial.
Aqui há uns tempos coloquei num dos separados o link do meu goodreads, por onde pudiam chegar ao meu Facebook e saber quem eu sou, nome, ver fotos, saberem de onde sou...
E, recentemente, anunciei cá a criação do meu novo blogue, o Soberana da Noite por onde conseguem saber, somente com um clique, quem eu sou.
Esconder-me já não é uma necessidade. Vocês não saberem quem eu sou já não é imperativo. Já não me faz diferença.
Neste momento, a única coisa que eu quero é que os meus familiares e pessoas conhecidas, em quem não confio ou com quem não me sinto à-vontade, cheguem aqui. Porque isso tiraria parte da liberdade de expressão que por cá tenho. Já não pudia publicar o que queria, dizer o que queria. Tinha que ser tudo ponderado antes de publicado, e não é isso que eu procuro para este blogue.
Este blogue é o meu cantinho, onde escrevo e falo sobre o que eu quero e bem me apetece. Onde sou livre e dona do meu nariz, e não pretendo abdicar disso.
O Soberana eu partilho publicamente. Mas este não. Este é privado. É meu!
Não quero a minha irmã a meter constantemente cá o bedelho e a comentar tudo o que escrevo como faz com o Soberana. Porque neste eu sou livre e quero ser livre! E se um dia eu vir isso de novo ameaçado, ou mudo o link, ou me armo em camaleão (quem o seguia irá compreender a quem me refiro) e apago o blogue, por muito que me custe! Custou-me imenso, mas já o fiz uma vez. Com este vai-me custar ainda mais, mas volto a fazer. Mas desta vez é de vez! Que não estou para andar nisto de me afeiçoar ao blogue, ao nome, ao design, a entrar no ritmo, para depois perder tudo de novo e voltar ao início.
Passo a dedicar-me somente ao soberana e acaba-se os blogues privados.

E não liguem a este post. Não estou a pensar apagar o blogue, nem sinto a minha liberdade ameaçada. Somente estava aqui a pensar no assunto e resolvi partilhar convosco.
Não pensem que deixei aqui pistas de quem sou sem me aperceber. Eu sei bem o que faço. E sei ser mesmo anónima. Já o fui. Mas já não há essa necessidade, como o disse.

Ai as minhas cruzes!

Quando estou de férias e em casa, eu fico encarregue de passar a roupa a ferro e de arrumar a cozinha.
Eu até gosto de lavar a loiça (ou louça?), excepto panelas de pressão ou quando a minha mãe parece que cozinhou para 10 pessoas, mas que as minhas costas se queixam no fim, ai isso queixam-se.
E não me importo de passar a roupa a ferro. Até acho relaxante, e com os ferros a vapor temos a vida facilitada, mas após 2h30 naquilo, o fundo da minha coluna é um concentrador de dores que nem é bom!
Eu, jovem de 21 anos, queixo-me sistematicamente das costas. Tenho a minha coluna em curva e o meu médico diz que tenho falta de músculos nas costas.
Andar na escola com a mochila a pesar quilos e ir sempre a pé, dá nesta brincadeira. Descobri que tinha a coluna torta com somente 14 anos. Depois apareceu o vício dos telemóveis e computadores, o que também não são nada favoráveis para isto. E passar horas e horas sentada, com má postura, caminhar de ombros descaídos, ler na cama, na residência ter uma cadeira e uns colchões de merda, que não há outro termo para aquilo, levar a mala de viagem super pesado que mal posso com ela, e às vezes ir meia hora a pé a carregá-la, que mesmo com rodas ela pesa de caraças e depois é só degraus e paralelos, mais chegar à residência,  não haver elevador, e ter que pegar aquilo em peso e, 'bora lá subir escadas... dar cabo das costas é comigo, como podem ver. Como não hei-de me queixar?

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Se há coisas que detesto é injustiças

Não tenho interesse pelo livro da Jessica Athayde, sinceramente, mas ela fez um passatempo no seu blogue e pensei "porque não participar? Não custa nada!".
Só tinhamos que dizer o que pudemos fazer melhor por nós, com um máximo de 5 palavras. E volto a realçar, MÁXIMO de 5 palavras.
Não ganhá-lo não me fez diferença porque não é um livro que desejo. O que me fez uma comichão do caraças foi ontem ir ver quem foram as 3 vencedoras e as suas frases, e vejo que uma das frases é a seguinte "Ter um caso de amor com a vida."
Que a frase está boa, está, não coloco isso em causa e dou os parabens à vencedora. O que coloco em causa é as escolhas da Jessica, já que impôs uma regra que, na hora das escolhas, não cumpriu. Nesta frase conto 8 palavras, não as 5 impostas no limite.
Acham isso bem? Eu não! Ao contrário de mim, houve pessoas que participaram porque queriam realmente o livro, e que se esforçaram para cumprir as regras, para depois verem a vencer pessoas que não cumpriram. Acho isto injusto! Muito, muito injusto! E compactuar com injustiças, vê-las e não falar, não é muito comigo...

O resultado aqui http://jessyjames.pt/vencedoras-do-passatempo/

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Os meus dotes na cozinha

Hoje dediquei-me às sobremesas. Fiz baba de camelo (que adoro), mousse de frutos vermelhos com pedaços de morango, e cortei o resto dos morangos e deitei-lhes açúcar.
A seguir fui lanchar leite com chocolate e tosta mista, e depois senti-me no sofá com dores nos olhos.
Sim, dói-me os olhos. Não sei explicar. Só sei que só os quero ter fechados. E não é sono que esta noite dormi bem.

A revista Cristina e o Pedro nu

Calma porque ainda não é desta que o Pedro Teixeira vem nu. Mas a promessa mantém-se.
Mas, para nos compensar, temos homens em toalha.



segunda-feira, 6 de abril de 2015

Cristina

Desde que comprei a tão badalada revista Cristina que pretendo escrever um post sobre ela. Mas fui adiando, porque só o queria escrever após ler toda a revista.
E hoje, somente hoje, na véspera do lançamento da nr 2, é que acabei de a ler.
Se pretendo comprar a que vai sair amanhã? Sim, pretendo.
A revista tem os seus contras. Os contras que imensas pessoas criticaram que foi a muita publicidade que ela trás. Mas todas as revistas a trazem. Trazem é publicidade em quadrados pequenos e poucas páginas completas. Mas a publicidade faz parte da vida da Cristina. É normal. Outro contra é o tipo de letra escolhido para alguns títulos e destaques. Letras muito desenhadas. Deviam ter mantido a simplicidade que caracteriza esta revista e que tanto me cativou. As cores neutras. A simplicidade da organização.
A escrita da Cristina (graças a Deus que ela não a escreve toda) é outra coisa que me desegrada. Logo na sua primeira frase "Passei a infância sozinha. Filha única num lugar com apenas 10 casas. Todas com gente da família. Era nas férias e no Verão que se juntavam os primos. O resto do ano, passava-o calada. Tímida. Com medo até... de falar ao telefone."  Muitos pontos para o meu gosto.
Mas como disse, a simplicidade da revista agradou-me. E os temas nela abordados também. Achei as intervistas super interessantes! Daí demorar tanto tempo a ler. Porque a quis saborear. Ler com calma cada assunto.
Nesta temos temas como o que os pais acham da iniciação da vida sexual fos filhos, maquilhagem, testemunhos de mulheres com azar ao amor, com histórias bastante interessantes, o testemunho de uma mulher que foi tortura pela PIDE, entre outras coisas.
A entrevista ao Marcelo Rebelo de Sousa também está bastante interessante. Clara e concisa.
E não podemos esquecer as fotos de figuras públicas sem photoshop! Vê-las como deve ser! :D
Portanto, tenho mais razões para a querer continuar a ler,  do que não.
Quanto mais não seja à espera do nr em que o Pedro Teixeira venha nu! ;)


domingo, 5 de abril de 2015

Boa Páscoa cm muitos e bons doces, que eu cá vou passá-lo em família, cheia de confusão e barulho. :)

( mas a minha vontade é passá-la na cama, sozinha e sossegada).

sábado, 4 de abril de 2015

As aventuras das minhas leituras

Sempre gostei de ler, mas a verdadeira paixão surgiu com a saga do Harry Potter, como aconteceu com tanta gente da minha geração.
Mas como qualquer leitor, ou a maioria, gosto de ler à noite. E, por vezes, a leitura ficava viciante e prendia-me de tal forma que ficava a ler pela madrugada fora. Isto também acontecia porque estava de férias, não façam já escândalo.
O problema é que o meu pai odeia que estejamos, à noite, acordados, a gastar luz, seja a fazer o que quer que seja! Diz que há muito tempo de dia. A seguir ao jantar é para ir dormir. E, volta e meia, ele levantava-se durante a noite e ia espreitar ao meu quarto, para ver se eu já estava a dormir. E, muitas vezes, apanhava-me a ler e tirava-me o livro.
E eu, esperta, como é que fazia para não ser apanhada? Primeiro trocava o livro que ele me tinha tirado por outro da saga (vantagem da saga ter muitos livros) e ia ler para a casa de banho.
Ou seja, tenho muitas horas de leitura do Harry Potter sentada no chão frio da casa de banho. E aqueles livros sofreram muito, incluindo passarem semanas em cima do guarda-fatos a ganhar pó.

Dilemas da madrugada



Expliquem-me como é que eu, estudante, que não faz quase nada na vida, tem uma meta anual de 15 livros, no Goodreads, que se vê negra para a atingir, porque depois das aulas, de fazer os outros e de devorar séries, quando chega à cama já está a ler o capítulo com um só olho, e há pessoas, que cálculo que até trabalhem, e, quiçá, se calhar até filhos têm, conseguem ler 15 livros... num mês!
Expliquem... vocês não dormem? São zombies? Vampiros? 
E, já agora, digam-me também porque lêem 3 e 4 livros ao mesmo. Isso é para quando se farterem de um, vão buscar o outro? Ou anda um na mala e o outro está sempre na mesinha de cabeceira? Porque não pegam só noutro livro depois de acaberem o que começaram? É para parecerem intelectuais?

Mas dizem que faz bem ao cérebro. Hum...
Mas acho que prefiro continuar com um só amor de cada vez. Ou então começo a dar uso aos livros de bolso. I don't no...
Que acham?



sexta-feira, 3 de abril de 2015

Já agora...

Viram num dos posts anteriores a mala que eu comprei? Oh pah, já andei com ela e adoro-a! Cabe tudo e mais alguma coisa e sem ser grande, pesada, nem desconfortável.
Menina feliz! :D

Vida difícil

Manter dois blogues não é fácil, muito menos quando não pudemos passar o dia à frente do computador.
O outro requer muito do meu tempo, especialmente a editar as publicações. Procura links, procura imagens, muda cor, muda letra...
Este é mais simples. Basta chegar aqui e escrever.
Públicos diferentes, objectivos diferentes, temas diferentes, requerem tempo e dedicações diferentes.
Se dá vontade de desistir de um deles? Já me passou isso pela cabeça, mas não o tensiono fazer.
Também ando cheia de ideias de publicações para aqui, mas não tem havido tempo para isso, então tenho feito só para o outro. Ainda por cima, o outro, só posso fazer publicações editadas no computador, e como nos próximos dias não puderei vir ao computador, já deixei uns quantos posts agendados.
Mas, para este, escrever na aplicação do blogger não é uma dor de cabeça, nem vai parecer mal no blogue. A qualquer altura cá estarei eu a dar o ar da minha graça. Se posso publicar as tais ideias que tenho tido? Claro que posso! Sem problema! Não tenho é lido o meu livro gay dramático, e quero muito lê-lo, porque estou a gostar bastante dele.
Por tanto, se estes posts vêm nos próximos dias, ou se só chegam daqui a uma semana, quando voltar para Castelo Branco e puder estar aqui à-vontade, isso é que já não sei...
Mas, antes de dormir, venho sempre ler os posts dos blogues que sigo. E não vou dormir sem os ler.
Por tanto, posso não publicar nada, mas vou sempre cuscar-vos ;)

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Quero-as como minhas amigas


A Maria foi às compras

Umas sapatilhas novas, porque as minhas, coitadinhas...
Uma mala em tons preto que descobri que não tenho nenhum. Ontem tive que andar com a da minha mãe.
E uma camisola, porque as de meia estação não muito raras no meu armário.